segunda-feira, 12 de março de 2012

Mulheres.... texto de Leila Ferreira

Se eu tivesse que escolher uma palavra – apenas uma – para ser item obrigatório no vocabulário da mulher de hoje, esta palavra seria um verbo de quatro sílabas: DESCOMPLICAR.

Depois de infinitas conquistas, acho que está passando da hora de aprendermos a viver com mais leveza: exigir menos dos outros e de nós próprias, cobrar menos, reclamar menos, carregar menos culpa, olhar menos para o espelho. Descomplicar talvez seja o atalho mais seguro para chegarmos à tão falada qualidade de vida que queremos – e merecemos – ter.

Mas há outras palavras que não podem faltar no kit existencial da mulher moderna. AMIZADE. Acostumadas a concentrar nossos sentimentos (e nossa energia...) nas relações amorosas, acabamos deixando as amigas em segundo plano. E nada, mas nada mesmo, faz tão bem para uma mulher quanto a convivência com as amigas.

PAUSA e SILÊNCIO, (nem que para isto vc tenha que desligar o celular)
Aprenda a parar, nem que seja por cinco minutos, três vezes por semana, duas vezes por mês, ou uma vez por dia – não importa – e a ficar em silêncio. Essas pausas silenciosas nos permitem refletir, contar até 100 antes de uma decisão importante, entender melhor os próprios sentimentos, reencontrar a serenidade e o equilíbrio quando é preciso.

Também abra espaço, no vocabulário e no cotidiano, para o verbo RIR. Não há creme antiidade nem botox que salve a expressão de uma mulher mal-humorada.
O riso nos salva de nós mesma, cura nossas angústias e nos reconcilia com a vida.


GENTILEZA - Ter classe não é usar roupas de grife: é ser delicada.
Saber se COMPORTAR é infinitamente mais importante do que saber se vestir.
Resgate aquele velho exercício que anda esquecido: aprenda a se colocar no lugar do outro e trate-o como você gostaria de ser tratada, seja no trânsito, na fila do banco, na empresa onde trabalha, em casa, no supermercado, na academia.

E, para encerrar, não deixe de conjugar dois verbos que deveriam ser indissociáveis da vida: SONHAR e RECOMEÇAR.

Sonhe até que aconteça.
E recomece, sempre que for preciso: seja na carreira, na vida amorosa, nos relacionamentos familiares. A vida nos dá um espaço de manobra: use-o para reinventar a si mesma.

E, por último (agora, sim, encerrando), risque do seu Aurélio a palavra PERFEIÇÃO.





O dicionário das mulheres interessantes inclui FRAGILIDADES, INSEGURANÇAS, LIMITES.
Pare de brigar com você mesma para ser a mãe perfeita, a dona de casa impecável, a profissional que sabe tudo, a esposa nota mil.

Mulheres reais são mulheres imperfeitas. 
E mulheres que se aceitam como imperfeitas são mulheres livres.

Viver não é (e nunca foi) fácil, mas, quando se elimina o excesso de peso da bagagem (e a busca da perfeição pesa toneladas), a tão sonhada felicidade fica muito mais possível.
Feliz mudança!

Ps: essa marroquina da foto, que nos cumprimentou tão sorridente, pinta na praça com os pés, pois não tem mãos.

Um comentário:

katia duarte pereira disse...

Sempre é DELICIOSO ler as suas postagens !!

adorei este texto,,,lindo , e tão real !!
bjs amiga !