quarta-feira, 23 de março de 2011

Matar um leão por dia!

Sabia que esta é a sensação de praticamente todos os profissionais liberais? Já ouvi muita gente falando sobre isso e é também a minha experiência como psicoterapeuta.
Tudo tem que ser genial, as sacadas espetaculares, pelo menos um grande insight por sessão.

Só que a vida não é assim. Tem o tempo de semear, esperar crescer, e aí colher.

Acontece que o mercado e as expectativas das pessoas estão tão agigantadas, que ninguém quer mais esperar por nada. Um segundo para entrar o site e já se reclama do provedor, abre o sinal de trânsito e o dedo já está na buzina ... Todos estão lerdos demais para nós.

Eu, com meus "6.0" já aprendi a delícia de ver o tempo passar sem fazer nada. Verdade que aprendi "na marra". Repouso com uma hérnia de disco por 4 meses. Deitada, podia mudar de sofá, de cama, mas tinha que ser deitada, com calor local.

Que tempo maravilhoso! Claro que, à princípio, pareceu uma maldição. Mas... como todos já sabemos, muitas vezes uma maldição é uma benção disfarçada.

Passava horas simplesmente olhando a lagoa na frente da minha casa. Esvaziei minha mente lentamente até começar a me deliciar com os detalhes que antes nunca percebi. Comecei a conhecer o beija-flor que sempre vinha nas flores do canteiro. Recebia amigas no meio da semana, que por pura compaixão, arranjavam um tempinho para um chá com bolachinha. Vi todos os filmes que não tinha tempo para ver e li, li, li... como deve ser. Sem precisar cortar, ler o livro direto e não pedaço por pedaço, onde se perde muito, porque se sai da história.


Final da história:  fui feliz nestes 4 meses. E aprendi que a vida pode ser deliciosa de qualquer maneira, basta não colocarmos um modelo ideal de viver. Poder relaxar de todos os desafios e deixar o ser ter seu próprio ritmo, mostrou-se, inclusive, como o propósito da doença. Amo minha hérnia. Veio para me deixar mais viva, sábia e saudável.

7 comentários:

Alana de Abreu disse...

Este texto podia também fazer parte da máxima: "Tudo é uma questão de ponto de vista". Muito bom!

Alessandra Dietrich disse...

Essa é a minha história preferida.. acho que você sabe bem o por quê..rs mas a melhor parte é que você conseguiu aprender a lição e não ficou lutando com o fato.. pois poderia ter começado outra doença por conta da "piração mental" de não fazer nada.. acho que foi uma das maiores lições que você me ensinou.. "tem tempos que não se faz nada" e assim, poderá crescer algo.. adorei o texto..

Fabiana Rosa disse...

Amei o texto!!
Parabéns pelo blog!!
Bjs pras três!!

rafaeel disse...

adorei tua historia, quero me lembrar disso qdo precisar....

João Castro disse...

Que lição ótima para as pessoas Tânia...dela pode se tirar mutio aprendizado, já passei por isso " uma maldição é uma benção disfarçada ". Na maioria das vezes nosso crecimento vai ser nas horas mais dolorosas...
gosto de passar nesse blog ;)

Parabéns para essas três mulheres!!

bjos e ótima quinta feira

Tania Abreu disse...

Queridos, que bom saber que estamos chegando nas pessoas e podendo, de alguma maneira, ser úteis. É só o que interessa!

Patricia Mafra disse...

A gente deveria trabalhar o suficiente pra poder aproveitar mais os horários de folga. Mas na correria acabamos esquecendo o quanto esta pausa é importante e prazerosa.
Adorei o post. Parabéns!