terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Minhas palavras são só o primeiro passo...


Tenho sido acusada de falar bonito, ou melhor, escrever bonito, mas não saber aplicar na vida real tudo aquilo que o meu cérebro processa através da linguagem. Eu concordo, em partes. Acho que processar a informação e escrever sobre ela já é um ótimo caminho andado. Ao menos quer dizer que você reconhece, observa, enxerga ou quer enxergar, tem a compreensão mental da coisa. Pior que isso é negar nossas partes obscuras, fingir que elas não existem, deixá-las ali nas dobrinhas da nossa mente, sabotando nossa vida inconscientemente. Grande parte das vezes, escrevo aquilo que eu mesma preciso ouvir.
Escrever, pra mim, é olhar para todas estas características e reconhecê-las, falar livremente sobre elas, as boas e as ruins. Pô, eu falo mal de mim pacas nos meus textos, vai? Também nem tento passar por dona da verdade. Simplesmente desabafo, me contradigo, falo besteira, acerto também.
Mas, concordo que falta muuuuito para eu SER tudo aquilo que eu escrevo, de fato. Um minuto de sabedoria e várias horas de merdas feitas, talvez essa seja a proporção. Talvez, a cada ano, eu consiga aumentar este minuto de sabedoria e diminuir as horas de merdas feitas. É o objetivo, ao menos.
Também tenho vislumbres de um estado onde as palavras ficam superficiais, pequenas, dispensáveis. Há um limite para a palavra. Há coisas nessa vida que nenhuma delas consegue expressar.

Enquanto a proporção diminui, sigo aqui... dando a cara pra bater. Dê também o seu tapinha!

5 comentários:

Fran disse...

Alana,
Adorei, mais uma vez, teu texto.
Penso como tu: para escrever é necessário refletir, formar opiniões, escolher as palavras que melhor se encaixam... esse é o caminho.
E quem disse que TEMOS que ser tudo que a gente ideal na vida real?!
Tu não é perfeita, como eu não sou e quem critica também não é.
E pode ser por isso que critica. Como ser imperfeito quer que os outros sejam perfeitos...
Mostrasse tua reflexão de como tu está SENDO, que tal nós leitores pensarmos o mesmo. Como nós estamos SENDO?

Esse é o meu tapinha ;O)

Beijos

Alana de Abreu Trauczynski disse...

Falou e disse, Fran!

Rafaela disse...

Eu penso que: o que seria da vida sem um cutucao? Faz a gente evoluir quando necessario e deixar passar quando a "carapuça" nao serve. Sou totalmente a favor de expressarmos nossas ideias, pensamentos e sentimentos, mesmo que ainda nao consigamos praticar nossas teorias. Alem do mais, suas palavras nao machucam ou fazem mal a alguem. Mas pessoas pensam diferente, tem inveja, adoram Ser do contra, se identificam, aplaudem... A liberdade de expressao e sensacao vale pra todos, mas que saibam fazer devido uso dessa tal "liberdade", sem ofender e denegrir. Beijao e continue sendo essa verdade que es, e es feliz assim!!!

Alana de Abreu Trauczynski disse...

Thank you girls!

Derland disse...

Muito legal seu blog e otimo, e muito criativo, se depois vocês quiser olhar o meu blog e dar a sua opnião eu ficarei muito grato: http://derlandreflexivo.blogspot.com/