quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Na balada com Calígula...

Então... Fui pra Sampa no findi assistir Calígula, com o Thiago Lacerda. Minha fala preferida na peça foi essa:

CALÍGULA: Não podes compreender. Que importa? Talvez encontre uma saída. Mas sinto que estão a crescer em mim seres sem nome. Que farei contra eles? [...]. Como é duro, como é amargo a gente tornar-se um homem!”

Um comentário: