terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Livre arbítrio: benção ou maldição?


"Seja o que Deus quiser" é uma expressão que vive na boca do povo. Mas ai de Deus se ele não quiser aquela coisa que eu quero muuuuuuuuuito (né?)!!!!!
O que sabemos nós sobre o que realmente necessitamos, quando as dificuldades são as que mais transformam coisas negativas em positivas? Pode o ser humano aprender sem passar por perrengues? Em que circunstâncias aquilo que Deus quer não é aquilo que eu quero?? (Quem sabe meu "eguinho" esteja envolvido nisso...)

Afinal... o livre arbítrio é uma benção ou uma maldição? Se não o tivéssemos, não seria tudo exatamente como Ele quer? Não seria então o livre arbítrio a escolha por não deixar nossa vida nas mãos Daquele que sabe qual é o melhor destino possível??

Me desculpem por tantos pontos de interrogação, mas... o que vocês acham disso??

2 comentários:

franpassetti disse...

Adorei o blog e os textos - os das 3 gerações -!
Penso que é muito mais fácil colocarmos as decisões, e as frustações, na mão de alguém. Seja ele Deus, seja o Livre Arbítrio, seja o nome que tiver.
Mas que tem que se mobilizar, fazer e acontecer somos nós!!
Pra mim, o livre arbítrio é justamente a nossa responsabilidade pelas escolhas que fazemos e pelas consequências que virão com elas.

Beijos

Alana de Abreu Trauczynski disse...

Pois é, Fran... este é um aspecto. No entanto, como experiência própria, passei a vida "fazendo e acontecendo", sem obter resultados satisfatórios para a minha alma. Agora que estou mais aberta ao Divino, faço menos esforço aparente, mais esforço interior e os resultados são melhores...
Concordo com você quanto a nossa responsabilidade. De uma forma ou de outra, somos responsáveis!