terça-feira, 10 de maio de 2011

Zona de Conforto

Sabe aquela situação, cômoda, que justifica toda negligência de mudança?

Acho que zona de conforto também é uma zona de perigo!
Não estar na zona de conforto, de maneira alguma significa desconforto. Mas exige coragem. É como sair do telhadinho para experimentar um banho de chuva, levantar do sofá e pintar uma parede colorida, pegar um novo caminho na volta pra casa...
Sair da zona de conforto é entrar na zona do desafio, do tudo-é-possível. É abrir mão das desculpas esfarrapadas que contamos a nós mesmos para justificar as frustrações do sonhar e não realizar.
Ter a possibilidade de parar, relaxar e não pensar, confortavelmente, não é de todo ruim, claro...desde que se consiga entrar e sair dela nos momentos certos. Permitir que o estímulo do desafio seja mais tentador que o 'cobertor morno' do não-experimentar. Pode não ser fácil, mas costuma ser recompensador.

Hoje estou, de certa forma, estagnada nessa zona de conforto. Seria perfeito, se não houvesse uma voz me dizendo 'eu quero MAIS, eu posso MAIS, há MUITO MAIS'.  Lembro dos momentos em que a instabilidade e a aventura me trouxeram muita alegria, felicidade e poder pessoal. Quantas vezes senti  mais felicidade dormindo num metro sozinha do que dirigindo meu carro com meus amigos. Os frutos do esforço são muito diferentes das iguarias da zona de conforto. Nem melhores, nem piores, mas atenção que damos ao sabor do que plantamos e colhemos é outro. O desafio aflora o melhor de nós mesmos... descobrimos nossos poderes, entendemos nossas limitações, organizamos nossas necessidades e vontades.

Aaaa coragem, tome conta de mim novamente, que estou farta de aguentar meus próprios bloqueios e desculpinhas, quero tomar banho de chuva e colorir as paredes da minha história!

3 comentários:

Alana de Abreu disse...

Esse tempo chega, Mari... na hora certa... eu que o diga!

Mariana Ostermann disse...

Amém!! Que assim seja!!!!

Grão disse...

muito bom galega! sai do conforto! bjo