quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

A morte

Passei o dia no velório de um amigo.

Estranha a morte.

Depois que o espírito abandona o corpo fica só um boneco de cera. Não tem mais ninguém ali. Só o amor das pessoas que ainda o vêem.
A gaiola abriu e o pássaro voou.

Ficamos nós aqui, esperando nossa hora. Todos na fila do matadouro, inexoravelmente. Só disso temos certeza.

Enquanto isso vamos amar, rir, compartilhar, aventurar,conhecer o mundo, interno e externo, dar votos de confiança aos nossos amigos, amados...mesmo quando não os entendemos ou quando pensam diferente de nós. Um dia tudo isso será nada. Sem nenhuma importância.

Perante a morte tudo fica pequeno, desimportante. Só o coração sente a realidade daquele ser. Humano, imperfeito mas tão igual em destino. Todos tentando, batalhando, já que a vida aqui na terrinha não é moleza não.

Que a dissolução no Todo seja o descanso e o fim da luta do viver.


Paradoxalmente, que bela é a vida!!

Saadi dizia: "Quando eu morrer não me procure nas tumbas. Me encontre no coração dos amigos."

Um comentário:

laetitiasweeneyrose disse...

A última citação além de muito tocante é super verdadeira.♥