terça-feira, 15 de março de 2011

Me dá um colo, destino!

Aiiii destino, destino... Às vezes gostaria de ser levada em seu colo. O meu destino é um 'cara' relaxado, tranqüilo, e nada autoritário. Deixa que eu fique soltinha por aí decidindo entre casar ou comprar uma bicicleta. Mas ocasionalmente, querido destino, a coragem fica tímida e o espírito desbravador fica preguiçoso. Será que o senhor não me ajudaria com um sinalzinho? Uma plaquinha? Uma dica boa ou um colinho, uma garupa ou uma carona, para que eu tome o caminho mais legal pra mim? Adoro essa praça onde me encontro agora, a praça das infinitas possibilidades, mas ela me deixa um pouco tonta. Por favor destino querido, na hora certa, me envia o mapa do sucesso? Prometo ser obediente e seguir as indicações!

4 comentários:

Alana de Abreu disse...

Não esquece também de mim, caro destino!!!

Mariana Ostermann disse...

O teu destino é amigo do meu né Alana... liberal e gente boa até demais!!

Tania Abreu disse...

O destino é o TAO, caminho por onde tudo flui mais fácil. O negócio é não atrapalhá-lo, coisa que insistimos em fazer...

andi disse...

a insustentável leveza