segunda-feira, 30 de maio de 2011

Expectativas

NÃO CRIE EXPECTATIVAS.  Este me parece um bom conselho. Não criar expectativas me protege da frustração, do apego ao resultado, e de tantas outras possíveis desilusões. Mas há uma parte da expectativa que é boa demais: é o prazer antecipado que ela pode trazer! A expectativa faz jorrar endorfinas nas veias, e vivenciar um momento feliz e vibrante na visualização do que se espera... Se a expectativa for consciente, aberta à possibilidade de tornar-se ou não realidade, pode ser muito gostosa!
Lembro das primeiras baladinhas que fui, na adolescência: a melhor parte, a mais prazerosa era o 'antes': a expectativa, os preparativos!  Me divertia imaginando, tendo cócegas na barriga.
A expectativa pode existir desgrudada do resultado, uma expectativa leve, um desejo, uma torcida.
Até porque, com o tempo, eu aprendi que quando algo que se espera não acontece, não era realmente para ter acontecido naquele momento.


Sim, eu crio expectativas. Desapegadas, deliciosas, brilhantes,  jogo energia para que se materializem, porém, acima de tudo, tenho a intenção de que o melhor ocorra a meu favor. E isso, nem sempre condiz com minhas expectativas. Mas não descarto o prazer de vivê-las!

3 comentários:

Alana de Abreu disse...

Deeeeeeeemaaaaaaaiiiiiissss!! Amei.

Tania Abreu disse...

Muito bom, Mari. Unir tudo é sempre o caminho do meio.

Mariana Ostermann disse...

Gracias sócias!!! Estamos compartilhando expectativas juntas!!